O interior de Presidente Getúlio, no Alto Vale do Itajaí, foi atingido nesta terça-feira (12) por uma microexplosão, fenômeno que causou prejuízos na área rural com a morte de animais e destruição de casas.

Segundo a Epagri/Ciram, algumas regiões do Estado sofreram com temporais e ventos entre 60km/h e 80km/h, devido à passagem de uma frente fria.

O sistema favoreceu a formação de nuvens de tempestade severa, denominadas de supercélula, que podem originar fenômenos como tornado ou microexplosão.

Segundo os meteorologistas da Epagri/Ciram, uma supercélula na região de Getúlio causou uma microexplosão, com velocidade de ventos estimada em mais de 150 km/h.

Na imagem do radar meteorológico, localizado no município de Lontras/SC, é possível visualizar as áreas nas cores “laranja e vermelho”, que representam a presença das nuvens onde se desenvolveu a microexplosão.

A Epagri informou que "microexplosões ou tornados estão associados a rajadas de ventos intensos com danos significativos, como corte de árvores e arremesso de objetos. São fenômenos que em poucos minutos se intensificam e se desafazem, causando grandes estragos e atingindo uma área muito restrita, como bairros dentro de um município.

Enquanto o tornado apresenta ventos extremamente fortes em forma de redemoinho (nuvem funil), na microexplosão os ventos intensos deslocam-se da nuvem em direção ao solo em linha reta, em um corredor de vento (sem redemoinho). Dessa forma, os estragos em uma área de vegetação serão bem diferenciados, o que permite uma caracterização do fenômeno".

Fonte: Pagina 3

Comentários