Músico veterano, Dentinho Arueira ganha premiação em Festival de Música

O cantor foi reconhecido como Melhor Intérprete no Festival da Canção, em Pinheiros

Com quase 30 anos de carreira, Dentinho Arueira pode ser considerado um veterano. O músico paranaense, radicado em Santa Catarina, já participou de mais de 65 festivais por todo o país. Recentemente, o cantor, compositor e pesquisador musical participou do Festival da Canção, em Pinheiros (ES) onde concorreu com 24 músicas e levou o prêmio de “Melhor Intérprete”, com a canção “Casa de Histórias”, composta e arranjada por ele, e que faz parte do DVD “Seu Brasilino”, lançado em 2014.

A música ganhadora, “Casa de Histórias”, reflete sobre as lembranças da casa dos pais de Dentinho Arueira: “É uma casa de gente de Minas Gerais, um local com muita prosa, rica em linguagem, culinária, religião e costumes”, explica Dentinho. O lirismo na música é intencional, afirma Dentinho: “A poesia facilita a canção ser bem recebida pelo público, são palavras do convívio social de cada uma dessas pessoas”.

Nessas três décadas, Dentinho Arueira participou de 26 coletâneas com suas músicas premiadas em festivais de música. Em 2008 lançou o disco “Dentinho nos Festivais”, que reuniu as suas composições premiadas em festivais de música Brasil afora. Quatro anos depois, foi a vez do DVD “Seu Brasilino”, que também se tornou álbum de mesmo nome, em 2014. O seu lançamento mais recente foi o disco “Minha Tribo”, de 2017, que marcou a estreia do artista nas plataformas digitais de música.

“Nesse disco busquei traduzir em poesia e canção o contato com os costumes, saberes e fazeres do povo brasileiro. Pertencer a uma tribo é compartilhar sentimentos e emoções com a música”, define Dentinho.

Assista “Casa de Histórias”: https://youtu.be/eOvK77g6JrE

Conheça a letra de “Casa de Histórias”:

A Nossa Casa tem Minas no meio, um Prato cheio de Arroz e Feijão

Tem Poesia na Enxada, Poeira na Estrada , Carroça e Gibão

Tem uma Casa cheia de Paredemeia com o Sertão

Tem uma Brisa mansa olhar de Criança abrindo o Portão.

A nossa Casa tem Santo no meio, Calango e Arreio, Espora e Bridão

Tem mordida de Cobra, Sací, Caipora, Magia e Canção

Tem Garoa e Goteira, Pinga e Peneira, Machado e Algodão

Tem Rede na Varanda, Cachimbo e Caçamba, Baitola e Peão.

A nossa Casa tem Mastro e Batuta, tem Gente Astuta, Serão, Serafim

Tem Cantiga de Roda, Viola e Sacola, Bando e Bandolim

Tem Monjolo e Gangorra, Moinho e Canoa, Caburé Surubim

Tem Nego e Branquelo, Costume e Pinguélo, Bitélo e Pasquim.

A nossa Casa tem Rio e Chegança, Brasão e Bragança, Fazenda e Cetim

Tem Coreto na Praça, Sorriso e Pirraça, Festança e Clarim

Tem Cachorro Ligeiro, Gado Pantaneiro, Cancela e Jardim

Tem Estrela Cadente, Passado e Presente, Bordel Botequim

Castélo e Dindim, é só Conferir. A NOSSA CASA TEM!.

Fonte: Diário da Cidade

Comentários